Buscar

Precisamos falar sobre saúde mental e prevenção ao suicídio

Não só em setembro, mas durante todos os meses do ano: falar sobre a valorização da vida é uma questão de necessidade


O mês de setembro é tradicionalmente dedicado ao debate sobre prevenção às mortes por suicídio. No entanto, esse assunto ainda configura um tabu na imprensa e nas instituições de saúde. O mês foi escolhido para falar sobre saúde mental justamente pela data de hoje: 10 de setembro, que é o Dia Mundial da Prevenção do Suicídio.

Conforme os idealizadores da campanha, abordar temas como depressão, sofrimento emocional e suicídio é uma forma de reconhecer e prestar auxílio às pessoas que passam por questões ligadas à saúde mental.

Durante o Setembro Amarelo, você provavelmente verá locais públicos iluminados com a cor amarela, além de algumas iniciativas (lives, reportagens, programas de televisão) com a temática. Contudo, precisamos falar mais sobre isso.


Não é à toa que o assunto merece visibilidade: conforme dados divulgados em 2019 pela Organização Mundial da Saúde (OMS), uma pessoa tirou a própria vida a cada quatro segundos em 2016 – o que correspondeu a 800 mil mortes naquele ano. Só no Brasil, o número de suicídios chegou a 13.467 neste período.

Além disso, 2020 possui peculiaridades: uma pandemia, acompanhada do chamado isolamento social. Neste cenário, as pessoas estão cada vez mais sozinhas, lidando com medo, planos interrompidos, saudades, uso abusivo de álcool e outras drogas, entre outras situações.

Uma pesquisa realizada pelo Pine Rest Christian Mental Health Services (hospital psiquiátrico nos Estados Unidos) mostrou que o número de suicídios cresceu 32% nos últimos meses em Michigan.


Aqui no Brasil, um estudo feito pelo Instituto de Psicologia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) indicou aumentou de casos de depressão, ansiedade e estresse durante a quarentena.


Neste mês, mais do que nunca, é fundamental falar da importância de se manter próximo de quem que se ama, mesmo que através de conversas virtuais. É importante não esquecer, é claro, de procurar auxílio psicológico ao sentir tristeza persistente e ter pensamentos ruins constantes, por exemplo. Afinal, conforme o slogan do Centro de Valorização da Vida (CVV), falar é sempre a melhor solução.


E nunca esqueça: você não está sozinho, você vale a pena e todos vamos sair dessa. Caso precise falar agora e não dê tempo de buscar apoio profissional, entre em contato com o CVV. Voluntários preparados para lidar com qualquer tipo de situação irão te atender. Para entrar em contato, ligue 188 (grátis para todo o Brasil) ou acesse o site www.cvv.org.br e converse por chat. O serviço é sigiloso.

84 visualizações

Fone: 3213.2000 (Ramais 2116  e 2127)
Avenida Sepúlveda, nº 53 - 
Centro Histórico - Porto Alegre / RS

CEP 90010-241

Conselho das Secretarias Municipais de Saúde do Rio Grande do Sul. Todos os direitos reservados. 2018-2020.