Buscar

Gestores gaúchos devem iniciar ações de prevenção contra arboviroses

Mesmo com foco no enfrentamento à pandemia, gestores municipais precisam empregar esforços na prevenção contra arboviroses, a fim de evitar surtos de doenças como febre amarela e dengue

De acordo com um guia rápido emitido pela Secretaria Estadual de Saúde do Rio Grande do Sul (SES-RS) nesta semana, gestores municipais devem começar a empregar estratégias de prevenção às arboviroses – doenças causadas por vírus e transmitidas por artrópodes.


Entre as ações esperadas, está o monitoramento e a eliminação de criadouros de mosquitos; o controle da infestação de mosquitos Aedes aegypti; e o monitoramento da cobertura vacinal de febre amarela.


Arboviroses no RS: febre amarela, dengue, Zika Vírus e Febre Chikungunya


O Rio Grande do Sul não registra casos humanos de febre amarela desde 2010. Neste ano, o Estado registrou ocorrência entre primatas não humanos (PNH).


Alguns municípios estão em alerta máximo para dengue e há registro de óbito. Também foram registrados casos de Zika Vírus neste ano, assim como casos de Febre Chikungunya.


A SES indica que todos os municípios ainda realizem ações de educação em saúde, criem Comitês Municipais de Mobilização, Fiscalização, Combate e Controle do Aedes e organizem as equipes de Atenção Básica, entre outras estratégias. Conheça todas as orientações indicadas pela SES no guia “Orientação para Arboviroses”, clicando aqui e acesse o “Plano Estadual de Ações Integradas da Vigilância em Saúde e Atenção para as Arboviroses Focado na Dengue” aqui.

29 visualizações0 comentário
Sem título-1.png
  • Instagram - White Circle